os registradores paulistas são registradores brasileiros

Corria o ano de 1974. Entre os dias 19 e 22 de junho seria realizado o I Encontro de Oficiais de Registro de Imóveis do Brasil, do qual participariam representantes de vários Estados da Federação.

 

Precisamente no dia 19 de junho de 1974 nascia o IRIB, bem no coração da cidade de São Paulo.

 

Sob a coordenação de uma comissão executiva, encabeçada por Júlio de Oliveira Chagas Neto, dava-se início à epopeia. A comissão foi composta, toda ela, de registradores paulistas: Jether Sottano, Maria Eloíza Rebouças, Elvino Silva Filho, Maria Helena Leonel Gandolfo, Oscar Fontes Torres, Pedro Silveira Gonçalves, Hélio Ferrari e Fernando de Barros Silveira.

 

A criação do IRIB era um sonho acalentado por um grupo seleto de registradores bandeirantes. Inspirado na criação do CINDER dois anos antes, na cidade de Buenos Aires, com o objetivo de congregar registradores de todo o mundo, o nosso IRIB nascia com o objetivo de atrair e congregar os registradores de todo o Brasil.

 

Júlio Chagas, no discurso inaugural dos trabalhos fundacionais, qualificou esse momento de “verdadeiro milagre”. Diz isso porque a criação do instituto representava a materialização de um antigo sonho, nutrido havia mais de 20 anos. Irmanado com Armando da Costa Magalhães, José Ataliba Leonel e Francisco Gonçalves Pereira, Chagas coordenou várias reuniões para estudar a melhor forma de atingir os objetivos propostos pelo grupo de expandir os limites da Associação Paulista (Associação de Serventuários de Justiça do Estado de São Paulo) colhendo especificamente registradores imobiliários de todo o país.

 

Assim se criou o Instituto. A sua trajetória é uma bela página da história do Registro de Imóveis no Brasil.

 

Conheci pessoalmente muitos daqueles que firmaram a ata de fundação do nosso Instituto. Muitos não estão entre nós. Sinto-me como o depositário de seus sonhos e soldado da realização de seus anseios.

 

É nessa condição que me dirijo a todos os colegas de São Paulo e do Brasil. O IRIB nasceu aqui, fruto do sonho, esforço e perseverança de registradores paulistas, em prol do registro de imóveis de todo o país.

 

É justo e oportuno que a direção volte a São Paulo. Em primeiro ligar, porque esse foi o compromisso assumido pela atual gestão, referendado por todos nós. Em segundo, porque a itinerância é salutar e deve ser estimulada. Não nos esqueçamos que o IRIB está há mais de uma década nas mãos de colegas de outros estados.

 

Conclamo os colegas paulistas a firmarem o compromisso de votar em nossa chapa. Para que os sonhos de nossos antecessores, de construir pontes, se realize plenamente.

Afinal, os registradores paulistas são registradores brasileiros. Com muito orgulho!

Abraços!

SJ